//Hospedagem alternativa, opção mais descomplicada

Hospedagem alternativa, opção mais descomplicada

Antes mesmo de arrumar as malas para viajar, as pessoas começam a se programar quanto ao local onde irão se hospedar. Depois de muita pesquisa e orçamentos, há quem prefira uma opção mais descomplicada. Aí que as hospedagens alternativas surgem para abrir. Se antes se tinha apenas os hotéis ou pousadas, agora, quem viaja para a Serra Catarinense pode se hospedar numa casa de algum lageano e conhecer, além da cidade, o povo hospitaleiro.

Seja por meio do site Visite Lages, com as hospedagens alternativas, ou pelo site Airbnb, os moradores estão abrindo as portas de suas casas e conquistando cada vez mais os turistas que desejam conforto, descontração e receptividade. Afinal, viajam para a cidade com o objetivo de curtir dias de alegria na Festa Nacional do Pinhão.

Entre atrações e gastronomia, os turistas desejam conhecer a culinária a base do pinhão. Pratos que o aposentado Elcio Eduardo Pinto, de 67 anos, faz questão de preparar aos que se hospedam em sua casa. Este é o terceiro ano em que o morador do Centro de Lages faz o cadastro de sua residência no site da prefeitura.

Em 2016, depois de ter alugado para alguns conhecidos, viu o anúncio da Secretaria de Turismo sobre o cadastramento de hospedagens alternativas, e resolveu colocar sua casa à disposição. Deu tão certo, que este ano já está com pedidos de reserva e ainda com dias disponíveis. “Em um ano cheguei a ter 15 inquilinos durante a festa do pinhão”.

Cuidado no atendimento e aos detalhes são seu diferencial, revela o aposentado. Quando o hóspede quer pernoite com café da manhã, prepara um verdadeiro banquete, com direito a frutas, iogurte, vários tipos de suco e o café personalizado, atração entre os turistas. Além da primeira refeição do dia, Elcio faz pratos típicos, como entrevero, quirera, carreteiro e churrasco campeiro.

A casa também serve de pousada em outras épocas do ano e, esporadicamente, recebe hóspedes que passam dias, meses ou até por um ano.

Seu bom humor e carisma completam o ambiente agradável, que muitas famílias procuram. “A casa, diferente do hotel, tem um aspecto familiar, é aconchegante o que faz com que muitos casais e famílias procurem ficar hospedados em uma casa”.

Há 10 anos de portas abertas

Quem também é conhecida por seu alto astral, receptividade e estrutura confortável é Marilda Silveira, de 61 anos. O que começou com o acolhimento de amigos e parentes por, pelo menos, uma vez ao ano, se tornou fonte de renda.

Há 10 anos ela abriu as portas de sua casa para receber turistas que viajam até Lages na época em que o pinhão é o protagonista. Aos poucos, sua atenção e carinho ao receber as pessoas ficaram conhecidos e a lotação de sua casa estava certa para todos os dias da festa. Quando morava no Bairro Penha, recebeu os primeiros clientes.

Os vizinhos, contagiados pela movimentação de pessoas e a economia, resolveram, também, transformar suas casas em hospedagens alternativas durante a festa.

Mesmo depois de se mudar para o Coral, Marilda não deixou de alugar. Nem mesmo ao se mudar, outra vez, para uma casa em um condomínio no acesso Norte. Apesar de ser em um local fechado, nem os vizinhos e nem os turistas se incomodam. Seu faturamento e lotação máxima nos dez dias da festa, ano passado, são prova disso.

Neste ano, não é diferente. Com a procura de moradores de Imbituba, Florianópolis, Rio do Sul, Blumenau e Joinville, o primeiro fim de semana da festa está com a casa alugada. “Muitos me chamam de louca por alugar a casa, mas não tenho medo.

Todos os meus clientes são confiáveis e nunca tive problema com nenhum item da casa. Além disso, eles sempre comentam que vão retornar ou acabam indicando mais pessoas”. Essa hospedagem ainda beneficia os taxistas, pois os locatários optam por deixar os carros na casa, para ir de táxi à festa.

Marilda Silveira trabalha com hospedagem alternativa há 10 anos

Acesso fácil

Além das indicações, muitos turistas encontram a casa de Marilda por meio do site Visite Lages, uma plataforma criada pela Prefeitura de Lages para incentivar a movimentação econômica aos moradores da cidade. É na época da Festa do Pinhão que muitos proprietários lageanos conseguem garantir uma renda extra.

Nos primeiros aluguéis, Marilda oferecia café, almoço, jantar e até pinhão na chapa. Porém, agora, com a estrutura que tem, consegue oferecer um ótimo café da manhã. Para ter garantia de uma hospedagem tranquila, ela aluga a casa apenas para casais.

“Eles buscam por conforto, porque muitos vêm para conhecer a cidade e fazer festa apenas dentro do parque. Dentro da casa querem tranquilidade”, enfatiza. Ela também acompanha os turistas nos pontos turísticos da cidade e nos primeiros de festa.

Aplicativo

Há quem tenha aproveitado a oportunidade por meio de outro aplicativo. Depois de viajar para Nova Iorque, ficar hospedada na casa de um morador e vivenciar uma experiência positiva, Roberta Ramos trouxe a ideia para Lages e apresentou aos pais uma nova forma de ter renda extra durante a festa do pinhão.

Em 2016, fizeram o cadastro no site Airbnb, maior rede de hospedagem do mundo, tanto em número de quartos quanto em valor de mercado. Atualmente, a empresa oferece 4,5 milhões de lugares, em 81 mil cidades – sem ser dona de nenhum deles.

Este é o terceiro ano que a família de Roberta recebe turistas, por meio da plataforma. Os hóspedes são de Santa Catarina, mas até os paranaenses aproveitam os preços acessíveis do aplicativo para se hospedar em sua casa. A família não muda sua rotina.

Permanecem na casa durante o período da festa, e tomam o cuidado para que alguém fique com os hóspedes, caso precisem de ajuda. Roberta observou que em uma casa as pessoas têm mais recursos durante a hospedagem. Além das vantagens, o preço também chama a atenção por ser acessível. A Secretaria de Turismo incentiva às pessoas a fazer o cadastro no site Airbnb, pois o alcance é maior.

Inscrições podem ser feitas até 20 de maio

Os interessados em cadastrar seus imóveis como hospedagem alternativa têm até o dia 20 de maio para fazer a inscrição, na Diretoria de Turismo, localizada na Avenida Papa João XXIII, 138, Bairro Beatriz. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo (49) 3226-1117. O locador pagará uma taxa de R$ 50 para o cadastramento e divulgação da hospedagem. Este valor corresponde a apenas um imóvel.

O proprietário ainda deve informar o endereço, número de telefone, quantidade de leitos, disposição de cozinha, café da manhã, roupa de cama, aquecedor, garagem, wi-fi, valor da diária e forma de pagamento e fornecer fotografias de diferentes cômodos da casa. As imagens serão exibidas no www.visitlages.tur.br. Todos os imóveis passam por uma inspeção. O objetivo é garantir a comodidade do visitante.

Lages apresenta o perfil para todos os tipos de hóspedes e tem a possibilidade de oferecer as mais variadas modalidades de hospedagem, movimentando também o setor em outros municípios da Serra.

O secretário de Turismo, Luís Carlos Pinheiro, comenta que esta será uma das edições mais movimentadas para os proprietários. Principalmente pela novidade na programação com o Especial Origens e a atração mais esperada pelo público, o DJ Alok.

Pinheiro diz ainda que estas formas de aluguéis, pelo Visite Lages ou pelo site Airbnb, são opções descomplicadas, com métodos fáceis para quem fica hospedado e para quem oferece a casa, significando praticidade e renda extra às famílias.